sexta-feira, 23 de maio de 2014

Uma palavra mal dita pode tornar-se Maldita! O poder da Palavra!




Três coisas não voltam atrás: A flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida. Essa é uma questão que precisamos dar muita atenção.
Em momentos de revolta, angústia, decepções e frustrações, muitas vezes proferimos palavras que são como flecha, após serem lançadas atingirá algum alvo. Seja o alvo que desejamos ou não. Se a nossa pontaria for certeira teremos êxito, se não, atingiremos qualquer coisa que estiver na frente. Assim também é a palavra, após ser lançada alcançará o coração e poderá trazer alegria ou causar um estrago na mente, nas emoções e na vida.
A palavra mal dita pode tornar-se maldita e conduzir toda uma vida ao fracasso, assim como uma palavra bem dita pode se tornar bendita e erguer alguém do lamaçal.
O poder da palavra é algo impressionante! Sonhos podem ser aniquilados por ela, palácios podem ser construídos através dela. A palavra gera vida, incentiva, fere e mata!
O próprio DEUS trouxe vida e existência através da palavra: “E disse Deus...” (Gn 1:3)
Você pode imaginar o poder que a sua palavra tem? Uma simples palavra pode mudar o percurso de um dia ruim, como também destruir toda expectativa de uma semana melhor. Thiago orientou a refrear a língua, pois está é um perigoso órgão capaz de incendiar toda uma vida, mas o homem que não tropeça no falar esse homem é perfeito e capaz de refrear também seu corpo inteiro. (Tg 3:2-6)
Eis aí um grande desafio para nós! Tenha cuidado! Antes de lançar uma flecha, tenha certeza do alvo que quer atingir. Pois para ser eficaz na tarefa de acertar é necessário preparo, treinamento, conhecimento de boas estratégias para ter êxito. Com as palavras não é diferente, antes de proferi-la pense, repense, pois ao acertar o coração poderá causar um estrago enorme deixando amargas sequelas.

Então... Lance a flecha certa, a palavra que abençoa e use a oportunidade para fazer o próximo feliz!!


quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Eu, o juiz!! Provérbios 23:7a


Tanto tempo sem escrever aqui... Mas hoje acordei com uma vontade imensa de expor algumas coisas que tenho visto e ouvido.

Queria entender o que se passa na mente e nos corações de algumas pessoas. Parecem que vivem buscando situações para sempre saírem por cima, querendo mostrar uma espiritualidade fajuta e egoísta, buscando defeitos em uns e outros, atacam aqui e ali a fim de gerar comichões nos ouvidos alheios... Falam das posturas das pessoas, das denominações e suas “leis”, todos sempre estão errados. Usam sempre a desculpa de dizer: Não estou julgando é apenas um questionamento!

Fico a pensar o que está por trás de certos questionamentos.  Será o real objetivo levantar contendas? Ou será tentar achar outros insatisfeitos e criar um motim de insatisfações? Gerar rebeldia nos corações? Realmente não sei. Mas tudo isso me incomoda. Não apenas o fato de ver alguns questionamentos baseados nas próprias vontades, mas por ver que alguns questionamentos no fundo tem uma raiz de amargura, de algo não curado, um desejo ardente por vingança.

Acredito que todos podem e devem sim questionar, mas até onde vai o meu questionamento? Questiono as pessoas, instituições e suas posturas, por quê? Por não atenderem o que eu “acho” que é correto, por não satisfazerem de alguma forma minha vontade e alimentar o meu ego?

Muitas vezes o questionamento vem junto com o julgamento. E creio que nem eu nem nenhum outro homem pode e deve ocupar esse lugar de juiz. Pessoas erram, instituições são falhas, líderes podem sim errar e cair, mas não cabe a mim decidir o fim. Penso que o meu dever é estender a mão, a graça. E deixar que Deus faça o que tiver de ser feito. Ele sim tem o poder para isso, Ele sim tem a medida certa. O nosso peso é sempre falho, porque sempre será baseado em nossos achismos, egoísmos, dores e mágoas.
Não estou em hipótese alguma dizendo sobre ser cúmplice, complacente, se calar diante de fatos e erros. Não! Não estou dizendo isso. 

Estou afirmando que devemos sim questionar, mas que meus questionamentos sejam verdadeiros, frutos de um coração sarado que anseia pela glória de Deus. Que nossos questionamentos não sejam frutos de vingança, de querer ferir o outro, de gerar rebuliços e contendas, de inflamar os corações dos fracos com a ira que me consome.

Não cabe a mim esse papel, não cabe a você esse papel. Não somos juízes! 

Se é necessário alguma mudança, que começe em mim! Se é preciso uma revolução que se inicie com os joelhos no chão!

Que Deus nos dê corações puros e sábios

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Um chamado a Ser Homem (I Reis 2:2-3)



Um chamado a ser Homem



Temos vivido em uma sociedade que se perdeu o verdadeiro sentido de ser homem, o significado de masculinidade autêntica.
Confundem o chamado de ser homem com ser macho e masculinidade com machismo.
Macho qualquer cachorro na rua pode ser, eles agem por instinto, são irracionais. Mas ser homem requer muita disposição e empenho.
Quando falamos em ser homem ou exercer masculinidade, logo o que vem a mente de muitos (principalmente mulheres) são aqueles estereótipos de rapazes fortes, malhados, que são considerados garanhões, vivem na academia malhando o corpo e esquecem de alimentar  o cérebro.
Mas não é esse tipo de personagem que estou falando. Quando digo de ser homem e exercer masculinidade autentica, estou dizendo daqueles que têm uma missão, sabe qual o seu papel e luta para cumpri-lo com excelência.
Os homens têm um chamado singular para representar Deus, para se lembrarem do que Deus disse e falarem de acordo. Mas ao longo da história não tem sido assim.

- Do silencio de Adão á minha falta de envolvimento -
Em Gênesis 1:26, Deus criou o homem e o revestiu de autoridade... Logo em seguida Deus lhe dá uma ordem “De toda arvore do jardim comerás livremente... mas da arvore do conhecimento do bem e do mal não comerás...” (Gn 2:17)
Deus deu ao homem autoridade sobre todas as coisas, e transferiu a ele uma ordem, uma mensagem: “Não comerás”.
Após a criação da mulher, certamente Adão deveria lhe repassar essa mensagem de Deus. Acredito até que ele tenha feito, porém Adão cometeu um erro grave. E esse erro se repete até os dias de hoje.
Onde estava Adão quando a serperte tentou a Mulher? Será que Adão estava ali o tempo todo? Em pé, bem ao lado da sua esposa, enquanto a serpente a enganava com sua astúcia? Será que Adão ouviu cada palavra? Se estava e há boa razão para acreditar que sim, porque ele não disse nada?
Será que Adão viu quando a mulher deu um passo na direção da árvore e estendeu a mão para pegar seu fruto... E não fez coisa alguma e nem falou nada para detê-la?
Adão permaneceu em silencio!
Eva foi enganada pela serpente, mas Adão não. (I Tm 2:14) Ele sabia o que estava acontecendo...
Adão não cumpriu o seu papel! Talvez se ele tivesse dito: Ei, espere um minuto! Querida, não foi isso que Deus disse! Ou tivesse se posicionado contra a serpente e colocado ela pra correr dali, a história seria outra.
Mas Adão não disse nada. Ele ficou ali, viu e ouviu tudo e não disse uma palavra se quer. Ele falhou com sua mulher. Falhou em representar Deus, em sua primeira luta espiritual. Falhou como homem!
Ele lançou sobre a mulher a sua responsabilidade (Gn 3:12), quando na verdade Ele deveria ter agido.
O silêncio de Adão é o começo da falha de cada homem, da rebeldia de Caim à impaciência de Moisés, da fraqueza de Pedro até a minha falha em não amar, ontem, devidamente a minha família. É também um retrato- Inquietante, mas revelador – da natureza do nosso fracasso. Desde Adão, todo homem tem tido uma inclinação natural para permanecer em silencio quando deveria falar. O homem se sente mais confortável em situações nas quais sabe exatamente o que fazer. Quando as coisas ficam confusas e apavorantes, suas entranhas se contraem e ele se afasta. Quando a vida o frustra, com sua enlouquecedora imprevisibilidade, ele sente a raiva crescer dentro de si. E então, cheio de terror e fúria, ele se esquece da verdade de Deus e trata de se defender. Desse ponto em diante, tudo dá errado. Voltado apenas para si mesmo, ele se vira para fazer a sua vida funcionar. O resultado é o que vemos todos os dias: paixões sexuais descontroladas, maridos e pais sem envolvimento, homens zangados que amam estar no controle de tudo.
O papel do homem é governar, ser racional e se entregar de coração as causas de Deus que se resumem em amá-lo acima de tudo,  amar e cuidar da família e trabalhar honestamente. Esta foi a proposta do projeto inicial da família que Deus instituiu (Gênesis 1.31). A corrupção das funções dos gêneros até hoje assolam família e sociedade. Enquanto o homem continuar lidando de forma corrompida com a sua função, famílias continuarão a ser consumidas  pelo silêncio de Adão.
Os homens têm um chamado singular para se lembrarem do que Deus disse e falarem de acordo; a adentrarem a perigosa incerteza com confiança e sabedoria que vêm do ouvir a Deus. Em vez disso, como Adão, nos esquecemos de Deus e permanecemos em silêncio.
Enquanto isso Satanás continua obtendo um número excessivo de vitórias: em nossa sociedade, em nossas igrejas, na vida de nossas esposas, filhos e amigos. Está na hora dos homens recobrarem a voz, de ouvirem a Deus – e de falarem.


Livro: “O silêncio de Adão” Larry Crabb


Se você enfrenta alguma dificuldade na área da sexualidade ou masculinidade e precisa de auxilio e ajuda, entre em contato conosco através do e-mail: saudavelsexualidade@gmail.com
Não temos fórmulas prontas para te oferecer, mas queremos caminhar sobre a verdade que Liberta o homem do pecado, ensinando princípios eternos que regem a nossa vida e nos ajuda a vencer.


sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Masturbação - Sintomas de olhos não controlados e pensamentos sem limites - (I Corintios 6: 12, 18-20 )



Conceito:

Ato de masturbar (se), vício solitário; auto-erotismo.

As maiorias dos homens viciados em pornografia tornam-se também viciados em masturbação, pois traz uma sensação de prazer físico imediato.

Vale lembrar que, apesar de ser em números menores também existem mulheres viciadas em pornografia e masturbação.

Essa prática considerada sexo “solitário” tem aprisionado muitos no meio de nós, levando alguns a total dependência, tornando-se escravas do pecado (Rm 6:6), necessitando de ajuda por meio de terapias para se livrarem desse mal.

A masturbação geralmente acontece com a curiosidade e descoberta da sexualidade pela criança ou adolescente. A maioria dos viciados em masturbação, assim como em pornografias são pessoas solitárias, com dificuldades de relacionamentos, então se consideram auto-suficiente. “Eu me basto, me satisfaço e me dou prazer”.

A atividade sexual foi criada por Deus para ser compartilhada com outro ser humano, no contexto do casamento. A masturbação é inclinada para o eu. Não compartilha, é um fogo que alimenta a si mesmo.

Alguns dizem que a masturbação é uma “válvula de escape”, alivio para as tensões, pressões, sobrecargas do dia a dia. Que a masturbação ajuda a compensar o tédio da rotina, as situações mal resolvidas, stress, dor emocional, sentimentos de rejeição, ansiedade etc.

Partindo desse ponto que a masturbação esteja sendo utilizada como válvula de escape, conforto emocional temporário, prazer físico e compensação, onde está a fonte de excitação para tal ato? Para se chegar ao orgasmo a pessoa buscará imagens e fantasias sexuais em suas mentes, e esse ciclo tende a aumentar cada vez mais as doses, chegando o momento de procurar por parceiros para se satisfizer.

“A masturbação é um sintoma de olhos não controlados e de pensamentos sem limites. Quando você criar novos hábitos para desviar os olhos e levar os pensamentos cativos, a masturbação cessará... Depois que uma imagem é criada na mente, ela logo se torna um ídolo. O hábito da masturbação se torna um hábito de adoração a esse ídolo. Finalmente, isso cria uma fortaleza na mente e se torna uma armadilha.” (Livro a Batalha de Todo Homem - Stephen Arterbrn)

Richard exley trabalhando a diferença entre tentação e pecado comenta que:
“Às vezes resistimos à tentação não porque odiamos o pecado, mas simplesmente porque não temos coragem ou oportunidade de agir de acordo com nossos desejos pecaminosos. Sendo esse o caso, podemos desenvolver uma vida imaginaria elaborada, na qual abrigamos nossas fantasias pecaminosas. Na tela de nossa imaginação, concordamos com todos os modos do mal. Logo estamos vivendo uma vida dupla. Por fora parecemos pessoas espirituais, mas em nossa vida imaginária, somos bem diferentes. O detalhe é que como Provérbios 23:7 adverte: o homem é assim como imagina sua alma.”

Observe o que a masturbação pode causar:

1- Vício ou compulsão – perda do autocontrole e domínio próprio
2- Vida de pensamentos impuros, pornografia e busca por relações ilícitas.
3- Aprisionamento em si mesmo, em fantasias. Deus nos ama e não deseja que estejamos amarrados a qualquer tipo de prisão. Ele deseja que cresçamos até a maturidade completa como homens e mulheres. A masturbação pode bloquear os planos de Deus para nossas vidas.
4- Quebra do relacionamento com Deus. Os viciados em masturbação deixam de experimentar o alívio que o próprio Deus pode nos fornecer quando buscamos Nele o auxílio em momentos de ansiedade, temor, tentação e angustia. A masturbação rouba aquilo que temos de mais precioso, a possibilidade de uma intimidade cada vez maior com Deus. Pois são justamente os momentos de lutas que nos levam a uma intimidade maior com Ele.

Chegará um determinado momento em que os viciados nessa pratica não se sentirão satisfeitos apenas com os filmes, e masturbações e ansiaram pela presença de parceiros. Levando-os a mergulhar nas relações ilícitas, o que lhes podem trazer grandes consequências, como: Gravidez precoce, que pode ser acompanhada de um casamento não estando preparado, doenças sexualmente transmissíveis e etc.

Observe o testemunho dessa jovem que se entregou aos desejos de uma relação antes do casamento.

“Jimmy e eu não podíamos esperar, por isso agora estamos casados”. Grande coisa!
Deixe-me contar o que é estar casada aos 17 anos de idade. É morar neste deposito de lixo no terceiro andar, cuja janela dá para outro depósito de lixo de alguém do terceiro andar.

É vir pra casa à noite tão cansada que você sente como se estivesse morta e tanto ficar em pé no trabalho. Mas, você não se atreve a sentar porque correria o risco de não poder mais levantar devido a quantidade de coisas que tem para fazer, como cozinhar, lavar, tirar o pó e passar roupas. Então você sente o impulso de odiar seu trabalho e se pergunta. “Por que não desisto?” E você mesmo responde. É porque existem contas do armazém, da farmácia, do aluguel e do médico, e a porcaria do chequinho que Jimmy recebe do depósito de madeiras, não é o suficiente. É por isso!

Então você tenta brincar com o bebe até que Jimmy chegue. Só que às vezes você não sente vontade de brincar com ela. Mas fazendo isso, você pode sentir-se culpada. Ela é tão linda, e você sabe que não é justo para ela passar o dia todo na creche daquela velha. Então você lava fraldas, faz mamadeiras e quer saber quanto tempo vai levar para que ela perceba como você se sente, e não seria terrível se ela já soubesse falar?

Então Jimmy não vem para casa, e você sabe que é porque ele saiu com os amigos para fazer as coisas que não pôde porque teve de se casar. Assim, finalmente você vai para cama e se lamenta dizendo a si mesma que, de fato, é melhor quando ele não vem porque, às vezes, ele diz coisas tão cruéis. Então você se pergunta por que ele me odeia tanto? E você sabe que é o fato dele sentir-se como que pego numa armadilha, e que ele não mais a ama como disse que faria.
Então ele chega e a acorda e começa dizer todas aquelas coisas bonitas que dizia antes do casamento. Mas você sabe que é apenas porque ele quer alguma coisa. Mesmo assim você acredita que talvez seja o velho Jimmy novamente. Então você cede, quando ele obtém o que queria, vira-se de lado, e mais uma vez você percebe que ele estava apenas usando-a. Então você tenta dormir, mas não consegue. Desta vez você chora silenciosamente porque não quer admitir que se importa.

Você fica deitada, pensando. Pensa nos seus pais e em seus irmãos e a maneira como eles a importunava. Pensa no quintal, no balanço, na casa da arvore e em todas as coisas que tinha quando era pequena. Pensa na boa comida que sua mãe fazia e como ela tentava conversar com você, mas você estava tão segura de que ela esquecera como era estar apaixonada.

Então você pensa em suas amigas e como elas devem estar se divertindo nas festas. Você pensa na faculdade que planejou fazer e quem vai ganhar a bolsa de estudo que lhe fora prometida. Gostaria de saber quem teria namorado na faculdade, com quem teria se casado e que tipo de trabalho ele teria tido?

De repente você quer falar então você estende os braços e toca Jimmy. Mas, ele está tão longe e a empurra para o lado, e então, você pode lamentar-se e dormir de verdade. Se um dia encontrar uma pessoa como eu, que pensa que é esperta demais para dar ouvido a alguém, espero que você diga que isto é casar-se precipitadamente aos dezessete anos de idade.” (Relato de uma jovem que se casou aos 17 anos, “O Prazer da Espera” de Jim Burns.)

É necessário escolher que caminho quer seguir. Não se pode servir a dois senhores. Muitos adolescentes e jovens têm elevado a sensualidade à condição de ídolo no coração. Peça a Deus para lhe mostrar a verdade sobre idolatria. A idolatria é a adoração a alguém ou algo diferente de Deus, colocando o objeto da idolatria no lugar de Deus.

A Bíblia exorta a adorar a Deus em espírito e em verdade, a pornografia e a masturbação viola esse principio, pois leva a adorar a carne, ou a imagem da carne de outra pessoa, buscando através dela satisfazer as necessidades.

Escolha o caminho do Senhor, tome postura de renunciarmos tudo o que alimenta a idolatria e sensualidade. Renuncie materiais pornográficos, relacionamentos que incentivam, hábitos, coloque limites no namoro. Não de provisão à carne. Exercite a obediência e a renuncia, e Deus te honrará!

Restaure sua vida de oração, leitura da palavra, comunhão com Deus e com a igreja, jejue, arrependa-se, confesse, busque ajuda. (Tiago 5:16). Identifique seus gatilhos de tentação. Solidão, stress, tédio, sentimentos de rejeição, pressão, ferida não tratada, baixa estima, ansiedade... Peça a Deus que lhe revele o que seu “vicio” ou comportamento pecaminoso revela sobre você.

Reconheça e busque lidar com essas situações de maneira madura. Leve a serio suas lutas, responsabilize-se por sua vida, suas atitudes. Não fuja, não negue e não se conforme.

Fuja da carne, não se permita iniciar, conte com Deus. É possível vencer.
Deus nos criou com propósitos. Ele tem propósito em nossa identidade e atividade sexual. Cada parte de nossa anatomia e fisiologia foi projetada por Deus, inclusive nossos órgãos genitais. (Gênesis 1:27)
A relação sexual é um privilégio exclusivo para o casamento e não uma pratica solitária de auto-erotismo. A relação sexual é uma troca de fidelidade por toda a vida, onde o casal desfruta entre outras coisas, unidade, comunicação, companheirismo, prazer, procriação e etc.

Deus quer o nosso bem e a nossa felicidade. Se vivermos pelos princípios de Deus experimentaremos felicidade e paz, mas se vivermos alheios a esses princípios viveremos aprisionados e confusos (salmo 128:1) (Provérbios 5:21-23).

“Felizes são aqueles que. Casados ou solteiros descobrem que a felicidade não se encontra na união de um casal, mas em um relacionamento verdadeiro com Deus.”
(Gary Chapman)


Se você enfrenta alguma dificuldade na área da sexualidade e precisa de auxilio e ajuda, entre em contato conosco através do e-mail: saudavelsexualidade@gmail.com
Não temos fórmulas prontas para te oferecer, mas queremos caminhar sobre a verdade que Liberta o homem do pecado, ensinando princípios eternos que regem a nossa vida e nos ajuda a vencer.

Grande abraço!


sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O pecado nosso de cada dia!


Olá Amigos!!
Quanto tempo sem passar por aqui... Tantas atividades, tanta correria que as vezes não nos sobram tempo para fazer tudo aquilo que gostaríamos. Claro! As vezes tem também aquele relaxamento e falta de prioridade.

Mas hoje não venho aqui escrever nenhum estudo e sim compartilhar algumas coisas que estão pulsando em meu coração. E a palavra que eu poderia usar para esse momento seria: Tratamento, renúncia, dor...

As vezes a gente escreve tanta coisa aqui, posta tantos estudos e reflexões, recebe e-mails de pessoas dizendo que foram abençoadas e caímos em nossas próprias palavras.

Esses últimos dias tantas coisas estão acontecendo, e a única certeza que eu tenho é que em tudo isso Deus está chamando a minha atenção para Ele, para viver da maneira que Ele deseja e para que minha vida não seja apenas algumas palavras bonitas que com o tempo cairá no esquecimento.
Em um desses meus momentos com Deus, Ele me levou ao livro de Mateus capitulo 5. Estou nesse exato momento com a bíblia aberta nesse capítulo, e ao redor da minha mesa estão tantos outros livros "Moldado por Deus" "Ele escolheu os cravos" ambos de Max Lucado, além "de Dentro para Fora" do Larry Crabb. Cito esses livros porque vale a pena lê-los.
Mas voltando ao Livro de Mateus, fiquei impressionado como deixei que tantas coisas afastassem de mim o foco principal. Fazendo a leitura desse capítulo, percebi como a minha justiça era a mesma usada pelo escribas e fariseus (Mt 5:17-20), como a minha luz deixou de brilhar e como sal da terra eu já não estava mais salgando e a única coisa que prestava era pra ser pisado pelos homens (Mt 5: 13).
Percebi que tantas e tantas vezes fugi da graça, desejei o mal, matei em meu coração, odiei aquele que me odeia, tratei mal aquele que me quer bem. Quantas vezes fui ao altar entregar minha oferta com ódio em meu coração, brigado com meu irmão, cobicei em meu íntimo, adulterei em meu coração, fiz juramentos falsos, jurei pelo céu, falei mentiras para levar vantagem, falei mentiras para agradar os outros. Quantas e quantas vezes desejei o mal, quis me vingar de quem me feriu, e fechei meu coração para perdoar, invejei, não amei... (Mateus 5:1-48)
Esses são alguns dos pecados que tenho coragem de falar... 
Quantas vezes fiz as escolhas erradas, bati em portas e andei em caminhos que não deviam. Me assentei em rodas de escarnecedores, falei e fiz piadas desonrosas. Deixei que sombras invadissem meu coração e deixei que meu coração obscuresse com isso.

Ao perceber tudo isso caí em prantos, porque meu coração estava longe de Deus. Me ocupei com tantas coisas, com o ativimismo, com os aplausos e elogios e permiti que meu coração perdesse a sensibilidade.
Lembrei de Naamã, um homem respeitado, honrado, aplaudido pelos outros, cheio de qualidades e potencial, mas ninguém conhecia a lepra que o devorava. Eu estava assim, sendo devorado por uma lepra que consumia meu interior.
Para ser curado, eu só tive uma alternativa, tirar a minha capa, me despir, reconhecer, descer, renunciar... Isso me dói, me machuca, me faz reconhecer que tantas vezes não fui o que as pessoas pensavam... Mas não me importo com a humilhação, eu quero é  a cura. A cura para minha alma, pro meu coração, pra minha mente, pros meus pensamentos, pra minhas emoções...
Estou disposto a pagar o preço necessário para isso. Não importa o que vão dizer, o que vão pensar... Pois eu sei que valerá a pena. Pra isso, eu preciso todo dia escolher a Cristo, escolher viver com Ele e para Ele.

Talvez você vai ler isso e vai me achar um louco, ou talvez você vai se identificar comigo. Seja como for, vamos escolher Deus todo dia e viver como Ele deseja.

Deus te abençoe grandemente!!

Em Cristo,

Elder Rangel




quinta-feira, 10 de maio de 2012

Pornografia – Uma muleta do diabo para levar o cristão ao pecado.


Pornografia – Uma muleta do diabo para levar o cristão ao pecado.
Mateus 6: 22-23




Conceito:
1-    “Figuras, fotografias, filmes, espetáculos, obra literária ou de arte, etc., relativos à, ou que tratam de coisas ou assuntos obscenos ou licenciosos, capazes de motivar ou explorar o lado sexual do indivíduo. Devassidão, libidinagem.” (Aurélio).
2-    “É tudo aquilo que explora e desumaniza o sexo, de forma que os seres humanos são tratados como coisas e as mulheres, em particular, como objetos sexuais”. (Relatório de Langoford, de 1972)

Você pode perguntar o porquê de um tema como esse. Talvez não seja o seu caso, mas cresce assustadoramente o número de crentes casados e solteiros viciados nessa prática.
Lembro certa vez em que estava me preparando para sair com a equipe de artes da minha igreja para ministrar em uma cidade vizinha.

Estávamos todos reunidos em oração, buscando a direção de Deus para quais estratégias iríamos usar no local aonde íamos. O ambiente em que estávamos em oração, estava “pesado” o clima não era o mesmo que costumávamos a experimentar quando nos reuníamos para orar. Algo estranho estava no ar, e a única palavra que Deus trazia ao meu coração para ministrar a equipe era sobre arrependimento.
Oramos uma, duas, três vezes... Todos pareciam estar em paz, mas o clima continuava tenso. Então saímos para apresentação. Quando chegamos ao local, o grupo e a equipe de teatro ía se apresentar na praça da cidade, todos estavam ali ansiosos para assistir a apresentação, havia repórteres e pessoas influentes daquela cidade. Para nossa surpresa enquanto a equipe se apresentava a aparelhagem de som queimou, não entendíamos o que estava acontecendo, a equipe era bem preparada, mas o personagem principal da peça que representava Jesus estava totalmente perdido, errou todos os movimentos na hora da apresentação.
No caminho de volta, fui informado por um integrante da equipe que o personagem principal da peça, estava com a mochila repleta de DVD’S pornográficos e que havia levado para oferecer aos outros jovens que desejassem assim como ele entrar para o grupo do “não tem nada haver assistir”.
Aquele jovem parecia ser tão comprometido com Deus, estava sempre presente nas reuniões de oração, mas na verdade estava completamente atolado e viciado na pornografia, abrindo a porta para atuação do inimigo.
Histórias como essas se repetem todos os dias em nossas igrejas, são adolescentes, jovens casados e solteiros, ministros de louvor, professores de EBD, diáconos e até mesmo pastores viciados nessa prática e acreditam que “não tem nada haver”.
Especialistas no assunto consideram que há boas razões para se acreditar que o número de evangélicos no Brasil viciados em pornografia é preocupante. Para eles, não é exagero dizer que, provavelmente, mais de 10% dos evangélicos no Brasil são consumidores de pornografia. Estudos apontam ainda que grande parte desse percentual é de evangélicos adolescentes.
Uma pesquisa feita por Josh McDowell em 22 mil igrejas americanas revelou que 10% dos adolescentes haviam aprendido o que sabiam sobre sexo em revistas pornográficas, e 42% deles disseram que nunca aprenderam qualquer coisa sobre o assunto da parte de seus pais. Outros 10% confessaram ter assistido a um filme de sexo explícito nos últimos seis meses.
Os materiais pornográficos podem ser encontrados e consumidos facilmente tanto no Brasil como em outros paises em diversas formas: cinemas, canais abertos de televisão, DVD’S, livros, revistas, vídeo games e até mesmo em exposição de arte erótica, entre outros. No Brasil, cerca de 8 milhoes de cópias de revistas pornográficas circulam mensalmente.
O vício da pornografia é como uma droga ou álcool, o viciado quebra os limites morais e seus valores pessoais. Um dos resultados disso é a destruição do seu relacionamento com Deus.

Vejamos as raízes, ciclos e consequências da pornografia.

1-        Raízes:

Curiosidade Para a maioria a curiosidade do desconhecido é a razão pela qual os rapazes são atraídos por fotos explicitas de mulheres. Para alguns homens e mulheres que experimentam desejos homossexuais, existe  também uma curiosidade, porém focada em outros homens e mulheres focadas em outras mulheres.
Procura por intimidade – Alguns dos usuários de pornografia são “solitários” que não possuem relações sadias com outras pessoas. Talvez não tenham aprendido habilidades sociais para formar relacionamentos sadios de amizade ou namoro; outros possuem medo de se aproximarem por temer rejeições. Então se mergulham na pornografia como válvula de escape.

Relacionamentos Fantasiosos - A pornografia pode estar intimamente ligada com nossas fantasias de intimidade com mulheres e homens. Desejamos amor e aceitação incondicional, e projetamos esta aceitação nas mulheres e homens que vemos na pornografia. Pois Deus nos criou com desejos de compartilhar nossa sexualidade com outra pessoa. Se não pudermos obte-lo por meio de um relacionamento conjugal inspirado por Deus, procuraremos substitutos baratos e a pornografia é o combustível dessa ilusão. Há também aqueles que buscam a pornografia afim de “apimentar” a relação.

2-        O ciclo do vicio sexual:

Os viciados em alguma forma de comportamento sexual, passam a ter um ciclo previsível de comportamento recorrente. Ficam preocupados em antecipar os prazeres. Fantasiam as imagens que vão ver e começam a fazer planos de como obter a próxima “dose”.
Começam a praticar um verdadeiro ritual, trilhando passos específicos que o levarão a ter acesso à pornografia. Visitinhas às bancas de revistas e locadoras são um dos caminhados trilhados. O viciado em pornografia chega a perder o bom senso.
Um pastor declara que foi procurado para aconselhamento por um rapaz de sua igreja viciado em pornografia desde a adolescência. A história do rapaz que começou com filmes e revistas pornográficas seguiu com relações sexuais ilícitas, que se tornaram banais. O jovem afirmou que acabou tendo relação sexual com o cachorro que tinha em casa influenciado pelos filmes que assistia.
Os viciados em pornografias geralmente tornam-se viciados em masturbação, o que leva muitas vezes o casamento a ruína. O mesmo pastor mencionado acima afirma ter aconselhado um homem viciado em pornografia que tinha mais prazer em se masturbar no banheiro com uma revista de mulheres nuas do que mantendo relações sexuais com sua esposa.
Muitos viciados após terem feito tal ato, sentem-se desencorajados e sem esperança, se culpam e fazem promessas de não mais repetir o ato. Mas, bastam algumas horas ou semanas para que o ciclo recomece. A tentação de se entregar a pornografia chega a suas mentes e começam a fantasiar novamente a respeito da repetição do ato.
Sentimentos de baixa estima, culpa e vergonha acompanha essas pessoas.
O vicio da pornografia é um sintoma superficial de problemas com raízes mais profundas, como problemas emocionais e relacionais. Essas raízes precisam ser descobertas, confessadas e tratadas para que assim sejam curados pelo Senhor Jesus.
Richard Exley, no livro “Os estágios da Tentação” ensina que:

“A raiz de quase todo fracasso espiritual é a desobediência nas pequenas coisas. Embora não pareça significativa no momento, casa desobediência por menor que seja, é como uma fenda ao muro da alma da pessoa. Através de cada pequena rachadura o ácido do mal penetra e começa a corroer os fundamentos de seu caráter espiritual. Ao longo do tempo sua vontade espiritual fica comprometida e, quando surge uma tentação, ela simplesmente não tem vontade de resistir. Para aqueles que não tem discernimento, pode parecer que a pessoa foi derrubada por aquela crise final, mas na realidade foi a raiz seca da desobediência que fez tudo...
Não é por acidente que o inimigo nos tenta primeiro com coisas aparentemente sem insignificantes. Ele sabe que cada ato de pecado, por menor que seja, é como uma semente no solo de nossa alma.”


3 –      Conseqüências:

3.1- Perda do domínio próprio, autocontrole, passa a ser escravos dos desejos.
3.2- Perda da comunhão com Deus
3.3- Casamento fracassado
3.4- Os jovens e adolescentes solteiros não se saciaram apenas com as revistas e filmes e procurarão por sexo ilícito:
Assim como a pornografia cresce em nosso meio, também cresce assustadoramente o número de jovens envolvidos em relações sexuais antes do casamento.
3.5-  Vida de pensamentos impuros e masturbação.
3.6- Perda do bom senso, da sanidade:
Uma comerciante crente de 27 anos moradora de São Paulo que era viciada em pornografia afirma que só percebeu a nocividade do seu ato quando começou a ter mais intimidade com Deus. Passou a orar e jejuar. “O Espírito Santo começou a me incomodar e eu fui aos poucos me afastando desse mal, que só agora percebi que era um vício. Tínhamos que assistir a esses filmes para poder ter relação sexual com meu esposo. Hoje não precisamos mais desse mal, que dizíamos ser um incentivo”, declarou ela em entrevista a revista Gospel.
Cabe á nós lideres e aos pais como igreja do Senhor Jesus, levantar a bandeira da verdade levando nossos jovens e membros a consciência desse mal que tem levado muitos a destruição. Deus tem propósitos e planos para nossa sexualidade, e a pornografia é uma espécie de muleta do diabo para levar os cristãos a cometer pecado, destruindo assim sua comunhão com o Senhor.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Perdão - Uma decisão, uma atitude de fé.


Falar sobre perdão não é uma tarefa simples nem fácil, pois não é fácil perdoar. Quero utilizar como base para essa reflexão os textos bíblicos de Mateus 18:21-35 e Colossenses 3:12-15.
Perdoar é um desafio para vencer o passado. Temos dificuldade em perdoar devido a nossa natureza pecadora, individualista e por falta de maturidade cristã.
Perdoar muitas vezes é abrir mão do direito de resposta, é assumir o “prejuízo”. Perdão não é um sentimento, e não pode ser confundido com remórcio. Perdão é um mandamento, uma decisão, uma atitude de fé. A falta de perdão é resultado de uma ira mal resolvida, abrindo a porta de entrada para a amargura que por sua vez escancara o coração contaminando a alma e destruindo sentimentos e relacionamentos.
Lembra da história que contei no estudo: Ira – Uma seta do inimigo que pode ser fatal. Onde me senti injustiçado? Pois bem, da ira nasceu à amargura que fechou meu coração para perdoar. Eu só pensava em me vingar daquelas pessoas. Passei diversas noites acordadas e tomei medicamentos para dormir. Como puderam fazer isso comigo? Eles não podiam, eles não tinham esse direito... Isso era tudo que eu conseguia pensar. Meu coração estava fechado para perdoar, passei dias remoendo aquela mágoa, não sabia falar sobre outra coisa.
Até que Deus com seu infinito amor me mostrou a necessidade de liberar perdão aquelas pessoas, eu precisava liberá-las e me liberar. Não conseguia desfrutar da plenitude da bênção do Senhor, a falta de perdão não permite isso.
Não foi uma tarefa fácil e também não aconteceu de um dia para o outro, mas meu coração estava disposto a isso. Foi quando nos encontramos, sentamos e conversamos e então vimos e sentimos o agir do Espírito Santo. Hoje vivemos em comunhão e desfrutando da alegria que o Senhor nos proporciona na amizade.
A pessoa que não perdoa, fica remoendo o passado e lembrando constantemente do que ou de quem lhe magoou. A falta de perdão nos aprisiona no mundo espiritual.
No livro de Mateus encontramos a parábola do credor incompassivo, que quando perdoado de sua dívida não perdoou quem o devia, e por causa disso foi entregue aos acoites e lançado na prisão.
Assim acontece conosco quando não perdoamos, somos entregues aos açoites da mágoa, da dor e do passado. A falta de perdão nos afasta de Deus e do relacionamento com as pessoas, pois nossa alma se torna prisioneira e passamos a viver com o “pé atrás”.
O perdão é uma arma a qual o inimigo não tem defesa, é um remédio eficaz para os males da alma. Não perdoando somos entregues a tortura interior e nossa alma fica presa e angustiada de sentir que tudo o que fizermos nunca será o suficiente.
Um dos benefícios da cruz para a pessoa ferida é o perdão. Para entendermos o perdão é necessário entender a cruz, pois fora da cruz não há perdão.
Perdoar não é esquecer, perdoar é oferecer uma folha em branco ao ofensor e permitir que junto com a graça de Deus uma nova história seja escrita.
Quando perdoamos, parecemos com Deus, porque perdoar é amar e Deus é amor.

Quais os benefícios em perdoar?

• Conseguimos enxergar Deus de um modo diferente. Atraímos sobre nós a bênção do Senhor. (Colossensses 3;13)
• Abrimos nosso coração, libertamos da prisão, da amargura e estamos prontos para sermos restaurados.
• Conseguimos experimentar a verdadeira alegria e paz. Estamos liberados para viver os relacionamentos que Deus deseja para nós.
• Abrimos a porta para o amor e recuperamos a imagem de Deus em nós. Estamos livres do fardo e da acusação do diabo.

Querido, perdoar não é uma tarefa fácil, só conseguimos perdoar através da cruz e com auxilio do Espírito Santo.
Rejeite toda mentira de Satanás, abra seu coração, reconheça sua dificuldade de liberar perdão e lance-se aos pés de Cristo. Permita-se ter as estruturas mexidas, os alicerces abalados para viver intensamente feliz, desfrutando das bênçãos do Pai.