sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O pecado nosso de cada dia!


Olá Amigos!!
Quanto tempo sem passar por aqui... Tantas atividades, tanta correria que as vezes não nos sobram tempo para fazer tudo aquilo que gostaríamos. Claro! As vezes tem também aquele relaxamento e falta de prioridade.

Mas hoje não venho aqui escrever nenhum estudo e sim compartilhar algumas coisas que estão pulsando em meu coração. E a palavra que eu poderia usar para esse momento seria: Tratamento, renúncia, dor...

As vezes a gente escreve tanta coisa aqui, posta tantos estudos e reflexões, recebe e-mails de pessoas dizendo que foram abençoadas e caímos em nossas próprias palavras.

Esses últimos dias tantas coisas estão acontecendo, e a única certeza que eu tenho é que em tudo isso Deus está chamando a minha atenção para Ele, para viver da maneira que Ele deseja e para que minha vida não seja apenas algumas palavras bonitas que com o tempo cairá no esquecimento.
Em um desses meus momentos com Deus, Ele me levou ao livro de Mateus capitulo 5. Estou nesse exato momento com a bíblia aberta nesse capítulo, e ao redor da minha mesa estão tantos outros livros "Moldado por Deus" "Ele escolheu os cravos" ambos de Max Lucado, além "de Dentro para Fora" do Larry Crabb. Cito esses livros porque vale a pena lê-los.
Mas voltando ao Livro de Mateus, fiquei impressionado como deixei que tantas coisas afastassem de mim o foco principal. Fazendo a leitura desse capítulo, percebi como a minha justiça era a mesma usada pelo escribas e fariseus (Mt 5:17-20), como a minha luz deixou de brilhar e como sal da terra eu já não estava mais salgando e a única coisa que prestava era pra ser pisado pelos homens (Mt 5: 13).
Percebi que tantas e tantas vezes fugi da graça, desejei o mal, matei em meu coração, odiei aquele que me odeia, tratei mal aquele que me quer bem. Quantas vezes fui ao altar entregar minha oferta com ódio em meu coração, brigado com meu irmão, cobicei em meu íntimo, adulterei em meu coração, fiz juramentos falsos, jurei pelo céu, falei mentiras para levar vantagem, falei mentiras para agradar os outros. Quantas e quantas vezes desejei o mal, quis me vingar de quem me feriu, e fechei meu coração para perdoar, invejei, não amei... (Mateus 5:1-48)
Esses são alguns dos pecados que tenho coragem de falar... 
Quantas vezes fiz as escolhas erradas, bati em portas e andei em caminhos que não deviam. Me assentei em rodas de escarnecedores, falei e fiz piadas desonrosas. Deixei que sombras invadissem meu coração e deixei que meu coração obscuresse com isso.

Ao perceber tudo isso caí em prantos, porque meu coração estava longe de Deus. Me ocupei com tantas coisas, com o ativimismo, com os aplausos e elogios e permiti que meu coração perdesse a sensibilidade.
Lembrei de Naamã, um homem respeitado, honrado, aplaudido pelos outros, cheio de qualidades e potencial, mas ninguém conhecia a lepra que o devorava. Eu estava assim, sendo devorado por uma lepra que consumia meu interior.
Para ser curado, eu só tive uma alternativa, tirar a minha capa, me despir, reconhecer, descer, renunciar... Isso me dói, me machuca, me faz reconhecer que tantas vezes não fui o que as pessoas pensavam... Mas não me importo com a humilhação, eu quero é  a cura. A cura para minha alma, pro meu coração, pra minha mente, pros meus pensamentos, pra minhas emoções...
Estou disposto a pagar o preço necessário para isso. Não importa o que vão dizer, o que vão pensar... Pois eu sei que valerá a pena. Pra isso, eu preciso todo dia escolher a Cristo, escolher viver com Ele e para Ele.

Talvez você vai ler isso e vai me achar um louco, ou talvez você vai se identificar comigo. Seja como for, vamos escolher Deus todo dia e viver como Ele deseja.

Deus te abençoe grandemente!!

Em Cristo,

Elder Rangel